6a Semana do P8SM

Bem vindo à Sexta Semana do Programa de 8 Semanas de Mindfulness!

Para esta sexta semana, o tema é:

” Como comunico?”

A proposta de prática formal para esta semana está disponível no audio desta secção: vamos aumentar a prática para 7 minutos, para estabelecermos, criarmos efetivamente o hábito do tempo reservado a nós mesmos. Vá continuando a experimentar os vários momentos do dia para encontrar aquele que lhe faz mais sentido.

Preparado/a?

A proposta da prática informal para esta semana é composta por 2 momentos:
–  mantenha o seu momento diário de lavar os dentes, tomar banho, conduzir, o seu momento em que “se está de pé está de pé, se está deitado, está deitado” por um minuto, para ir treinando a sua Presença;

– Cada vez que vá expressar uma opinião ou a sua forma de ver as coisas, no trabalho, com a tua família ou os amigos:

1 – Páre uns segundos e volte ao seu centro.
2 – Seja consciente das crenças e filtros mentais que estão por trás da sua opinião.
3 – Em seguida, expresse-a; será uma opinião a partir da consciência.

E para terminar, aqui fica a inspiração para esta semana, um conto:

“A lâmina da foice”

Mulla Nasrudín trabalhava no jardim da sua casa, quando se deparou com um problema imprevisto: a lâmina da foice partiu-se.
Aborrecido com este contratempo, parou para pensar e decidiu ir a casa do seu vizinho, que vivia a um quilómetro, pedir-lhe a sua emprestada. Quando ia a caminho pôs-se a pensar, como fazemos todos, com pouca consciência do diálogo que mantinha no seu interior, e que era mais ou menos assim:
– “A verdade é que não conheço muito bem este vizinho. Para além disso, se calhar vou aborrecê-lo se não estiver de bom humor. Corro o risco que me diga que não. Então vou-me sentir humilhado e, como me conheço bem, sei que me vou aborrecer e terei que regressar a casa triste e abatido. Sim, isso é o mais provável…”
Quando terminou o seu discurso interior, encontrava-se em frente à porta da casa do seu vizinho que, num tom alegre e descontraído, como o que as pessoas por vezes têm aos domingos, lhe disse:
– Olá Nasrudín. Como vais? Que bons ventos te trazem por aqui?
Ao que Nasrudín respondeu com um tom cortante e irritado:
– Que saibas que não preciso da tua foice!
lamina da foice.jpg

 

Boa semana! 🙂